quarta-feira, 14 de março de 2012

Parágrafo!

"Se Maomet não vai à montanha, vai a montanha a Maomet..."

A história de duas pessoas na mesma cidade na sua versão Portugal-Austrália.

A noite semi-fria e cerrada.
Uma chave na ignição.
Curvas e contra-curvas.
Reflexos da luz nocturna no rosto.
Pinhais atravessados e caminhos desencontrados.
Sem viv'alma na estrada, a rota é calculada.
O destino é encontrado.
Uma chamada telefónica.
A surpresa.
A espera.
O reencontro.
O meio-abraço.
O telemóvel que interrompe.
A indiferença.
A conversa que nunca foi.
O adeus antecipado.
A porta fechada...

.

Parágrafo!

(O regresso às vidas dentro da vida...)

Imagem: http://lua-hedra.blog.uol.com.br/arch2005-02-01_2005-02-28.html
Música: David Fonseca - Who Are You?

19 comentários:

Buxexinhas disse...

Eu prefiro poemas a textos em prosa... Não gosto de parágrafos, embora existam... Pelo menos os versos interligam-se sempre... Os parágrafos implica corte... Não... Tu tens de escrever o teu Poema... ;)

Gonçalo disse...

Buxexinhas:

Eu gosto de textos em prosa e não tenho jeito para poemas.

Os parágrafos por vezes são necessários porque há textos que precisam de uma nova roupagem...sejam em poema ou em prosa!

Beijinhos :)

S* disse...

Fechar a porta... não se deve fechar, deve-se encostar, apenas.

Carolina Tavares disse...

Gostei do teu texto, embora resumido dá para se ter uma visão do acontecido.

Encontros na vida são artigo de luxo. A vida, infelizmente, oferece mais desencontros do que encontros.

Beijinhos

Eli disse...

Adorei.

Estava à procura do autor...

(rindo)

Tenho tanto orgulho em ti.

:)

Sente, faz, acontece... tal como o amor :)

Eli disse...

Ah... e a música... perfeita.

Raven disse...

Parágrafo, nem mais!
Nova linha, quiçá novo livro ;)

Gonçalo disse...

S*:

Tens razão. A porta ficou semi-aberta mas numa nova dimensão.

Beijinhos :)

Gonçalo disse...

Carolina:

Parabéns pela tua perspicácia!

Beijinhos :)

Gonçalo disse...

Eli:

Parece que não fui eu o autor, mas fui. Também faz parte do que é meu e talvez nunca o tinha descoberto. Partilho convosco, tal como a boa música :)

Beijinhos ****

Gonçalo disse...

Raven:

Adoro o título que dei. Tudo faz sentido!

Beijinhos :)

Daniel Silva (Lobinho) disse...

Wow, Gon, ADOREI! Julgo ser o primeiro em propsa poética que leio teu... BELÍSSIMO! want more ;)

Já agora, sobre a música aqui ao lado, adoro a canção mas na versão da Lisa Gerard ;)

O teu sempre abraço

Moi disse...

Gostei!
Afinal sempre deste com o teu ar de poeta! ;)
Inspirado para mais alguns!?...






Beijocas

Patrícia disse...

Foi realmente um parágrafo. Li-o rapidamente, imaginando cada frase e isso para mim é o mais importante na poesia. Não é a métrica do poema, os floreados ou algo do género, mas sim a capacidade que possui de fazer o leitor imaginar os sentimentos de quem escreve. Parabéns por isso.

Beijinhos,
Patrícia

TERESA SANTOS disse...

Desencontros?

Gostei, acima de tudo, do ritmo da escrita!

Beijinho.

P.S. Ah! Missão cumprida. Queres "espreitar"?

Gonçalo disse...

Lobinho:

Prosa poética aceito. Agora não acho que seja poema, porque os meus dedos não sabem o que isso é. E talvez seja o primeiro. A minha liberdade escrita irá continuar.

Um abraço :)

Gonçalo disse...

Moi:

Ainda bem que gostaste. A gente vai continuar...

:)

Beijinhos ***

Gonçalo disse...

Patrícia:

Obrigada pelo carinho. De facto cada frase tem um sentimento. E sem receios consegui transmiti-los. E tu conseguiste senti-los.

Um beijo grande :)

Gonçalo disse...

Teresa:

Sim, desencontros em ponto de encontro. Vou espreitar a tua escrita :)

Beijinhos ***