quarta-feira, 16 de dezembro de 2009

Agir para Reflectir, Reflectir para Agir: “Carta ao Pai-Natal” (Luís Miguel)

“Peso da Régua, 3 de Dezembro de 2007

Olá Pai Natal!

Chamo-me Luís Miguel e tenho 21 anos.
Como muitos jovens da minha idade, esta poderia ser mais uma daquelas castas com intenção de bens matérias te pedir.
Mas não…
Hoje resolvi escrever-te porque tenho uma doença que me preocupa, que me consome e se alimenta de mim.
É triste eu sei, tenho 21 anos, não 21 dias nem 21 meses, acredita que já vivi do pior possível e imaginário.
Não me considero uma pessoa que ao longo da vida tenha feito factos grandiosos dos quais me possa gabar, nem que tenha feito as melhores e mais puras acções de caridade para que deva ser sublinhado.
Mas dizendo sem qualquer enaltecer, acredito ser uma pessoa com um bom coração.
Já lá vão mais de 10 anos quando me foi diagnosticada esta penosa doença ao qual hoje, neste dia, gostaria de ter a tua ajuda
Não quero brinquedos, carros, casas, neste natal, e mesmo recuperar de saúde o que já perdi, seria pedir de mais.
Apenas te peço que por mim fales a Deus e sejas mais uma estrelinha brilhante a iluminar o meu caminho.
Eu sei, estou a pedir te o que se calhar muito gente em situação pior não tem, mas como cada caso é um caso, hoje vim apenas falar-te do meu.
Sabes…
Poucas são aquelas pessoas que conhecem a minha dor, a minha angustia, os sentimentos de revolta que me chegam a tirar noites seguidas de sono.
Mas para hoje estar aqui, a falar contigo, embora me custe imenso, é sinal que com a tua ajuda pretendo por um ponto final em tudo isto, e voltar a ter uma vida mais activa comigo mesmo.
Curioso, até este ano, era o único caso conhecido e diagnosticado clinicamente em Portugal, mas ao que sei e segundo a equipa de Neurociências que me segue, hoje 2007, já somos 3 os casos detectados em Portugal.
Mas é desanimador, era bom que me pudesses ajudar, foi e é essa a prenda que todos os anos peço aos meus pais, onde é com grande tristeza que os vejo dizer ‘Infelizmente dar-te a cura é algo que só Deus te pode colocar no sapatinho’.
Todas as noites lhe peço, acredita, mas penso que pedir com a tua ajuda seria melhor, a união faz a força e juntos penso até que algo de positivo podemos obter.

Achas que me podes conceder esse desejo? Ficaria eternamente grato.

Bem penso que a minha carta está a chegar ao fim, sei que tens muito trabalho pela frente, mas desde já deixa-me agradecer-te pelos minutos que dispensas-te para ler a minha carta.
Peço-te que não penses que é apenas mais uma, pois não é, é a minha, é real, tem o coração sobre ela.

Fica bem

Luís Miguel”

Fonte: Um Rumo à Deriva

A rubrica “Agir para Reflectir, Reflectir para Agir” foi desde sempre dedicada à partilha e reflexão sobre as palavras de grandes génios como Paulo Coelho, Neale Donald Walsch ou Augusto Cury, mas hoje, dia 16 de Dezembro de 2009, percebi que há um tributo a fazer a um grande génio: Luís Miguel Mesquita Martins! Segundo o próprio, o menino M&M’s!

A grande diferença que o distingue dos outros génios supracitados passa pelo facto de ter sido uma lenda viva para mim, e mais do que qualquer génio ou lenda viva, foi e continua a ser um amigo!

Hoje faria 24 anos… Ainda me lembro que há dois anos atrás celebrei o seu aniversário oferecendo-lhe a pulseira da amizade, o símbolo que uniria para sempre a nossa relação e a minha presença na sua presença, mas…pouco tempo depois, Deus voltou a chamar os que mais ama, e a sua herança ficou para sempre nos corações dos que mais o amavam, no meu coração também…

Na altura, cheguei a pensar fazer um tributo ao meu amigo Luís, mas senti que seria cedo demais e talvez um oportunismo desnecessário do momento, por isso deixei apenas uma frase e uma música. A frase será a última pontuação deste texto, a música é “Pássaro Azul”, de André Sardet.



Hoje sinto que é momento para um dos tributos ao legado que o Luís me deixou, e nada melhor do que aproveitar o seu dia de aniversário e o mês de Dezembro para presentear-vos com um dos seus magníficos textos alusivos ao Natal.

Não sei nem consigo imaginar a dor e coragem necessárias para escrever esta carta ao Pai Natal, apenas sei que a vida e o Luís mostram que a experiência deve ser vivida com a maior intensidade possível, sem limites, ultrapassando os obstáculos com o prazer e compreendendo que cada momento é uma oportunidade para ser feliz! O Luís interpretava com grande mestria a filosofia de bem-viver e mascarava a sua dor com o sorriso dos outros, recusando qualquer tipo de “coitadismo” e centrando-se apenas na felicidade dos outros que era também a sua! Esta última frase pode estar escrita no passado, mas eu sei e sinto que continuas a ser presente na minha vida e um anjo da minha felicidade actual e crescente! A mensagem da tua carta continua bem presente e merece ser partilhada: nos momentos bons e menos bons, o sorriso é sempre possível! Vale a pena pensar nisto...

Para sempre, amigo!

“O teu sorriso mesmo quando o mundo estava contra ti ficará para sempre guardado nos nossos corações...És Lindo, para sempre!” (Gonçalo Cardoso)

22 comentários:

Anónimo disse...

Olha, muito comovente e bonito o teu gesto da pulseira da amizade e da homenagem que fazes a esse teu amigo. Mas sabes, devemos fazer também gestos desses aos que estao a nosso lado sem lhes perceberemos doenças assim. ha doemças de alma, sabias, e conheço uma amiga que apenas a mim me contou) que sofre tanto como este teu amigo, apenas nao é doença de alma. É doença de solidão mascarada na alegria dos outros, como dizes do teu amigo, e apesar de ter muita gente á volta dela tem muita insegurança e nao consegue ter simplesmente uma vida trivial porque apesar de tomar um anti-depressivo nem sempre tem forças para se levantar, mas quando sai todos vêem nela uma mulher espantosa nos seus 32 anos, cheia de energia, porque tem trabalho e é bastante inteligente e culta, e ninguem faz a minima ideia da dor interior que sente, por isso, quero dizer que este post é uma linfdissima homenagem mas como tu mesmo dizes nao devemos esperar pelo mais tarde para dar pulseiras de amizade ou gestos de amizade e carinho e amor.

Por certo haverá outras amigas como a minha que todos julgam ser uma pessoa com tudo menos com problemas, e no entanto nao tem uma doença do tipo que se v~e que impede, mas tem uma depressao ligeira que nao lhe sai e ja é dela desde nascida, mas que consegue fazer uma vida "normal" sem ninguem se aperceber.

È bonita a tua homenagem e estou muito comovida pelo que lhe fizeste. Mas faz como eu: nao olhes so para os feridos do corpo: ha tanytos feridos de alma que nao se revelam...

jinhos

A.M.

P.S. - No outro dia nao assinei mas era eu quando disseste para eu ter uma cara; nao tenho blog. visito alguns. E nao pretendo ter.

A.M. (Outra vez ) :D

Gonçalo disse...

A.M.:

São tantos os teus comentários anónimos com esta assinatura que até já nem levo a mal o desconhecimento do teu nome. Para mim já és a A.M., e se algum dia te encontrar pessoalmente tenho receio de te tratar por "A.M.", pois o hábito faz o monge :P

Eu sou contra as homenagens póstumas em exclusivo, para mim as homenagens foram feitas para os vivos e os falecidos, daí conhecer-me como uma pessoa de "elogio fácil" mas sincero, e incomodar-me com os falsos elogios após a morte de alguém.

Sou enfermeiro, e além de enfermeiro sou uma pessoa observadora, atenta e sensível, e para mim as homenagens e os elogios são constantes como sentidos. Talvez por isso as pessoas tomam-me como "graxista" quando muitas vezes estou a ser honesto e amante como eu gosto!

Julgo e espero que o Luís tenha percebido as minhas homenagens, eu não as esqueço porque há momentos que são únicos e ainda para mais dependentes de um grupo tão unido como é o nosso! Há um prazer enorme em fazer o bem!

:)

Um beijinho grande para ti e volta sempre! :)

Anónimo disse...

Tal como tu, não gosto de homenagens póstumas, e é por isso que escrevi o que escrevi, que foi muito bonito a pulseira da amizade e o teu amor pelo Luis, mas embora possa aumentar o nosso ego e eu sei que fazes porque sentes e és cheio de amor sincero, como dizes, (porque eu tb sou assim em particular com essa amiga que te falei cuja diferença é que a doença nao se vê e por uma questão de amor próprio que nao é orgulho nao se conta, entendo-a muito bem) faz muito mais felizes as pessoas a quem nos damos do que a nós mesmos. Não sei se sentiste o mesmo.
Há tanta gente a morrer de solidão, e a solidão nao se vê como a fome, ou como a doença. A depressão, mesmo ligeira, a solidão, a necessidade de um ombro amigo, de um beijo(quero lá saber que também seja uma rapariga), alguns fracassos, ninguém vai dizer isso como se dissesse "tenho cancro" e todos percebem a gravidade do problema. A gravidade daquilo que nao se vê tem a mesma importância, que esta do teu amigo, caro Gonçalo.

Continua esse trabalho com as pessoas que mesmo sem se ver, podem ter vergonha em falar dos seus fracassos ou reais problemas (e isso não é orgulho) por se sentirem minimizadas e precisamente porque nao gostam de se sentir coitadinhas, e nao deixam de sofrer tanto (e arrisco dizer MAIS) do que muitas doenças físicas.

Sou muito solta e directa mas muito humana e nao gosto de ironias mas tocou-me muito o teu post e acabo por fazer aqui uma chamada de atenção a que todos estejamos atentos a sinais de amigos que possam precisar de nós ou até de algum desconhecido na rua que por qualquer motivo fez com que nos cruzassemos com essa vida e soubessemos um pouquinho da sua historia.

Nao vim aqui falar da minha amiga, isto já se tornou mais um desabafo do que um comentário, mas cheguei a passar férias com ela e um fim de ano (ela nem sempre queria ter de se mostrar como a vêem) e sabes que foi uma das melhores coisas que ja me aconteceram? Como não é uma pessoa limitada em nada excepto talvez na sua enorme insegurança e porque nao é tão prática como eu, só mostra o que vêem, e sabes este teu post despertou em mim o desabafo e alguma raiva por haver tanta gente a receber ajuda moral como o teu amigo Luis que de certeza teve uma vida muito mais rica porque entraste na vida dele, mas porque são pessoas com síndrome de Down, ou doenças neurovegetativas, ou cancros, etc e toda a gente imediatamente se preocupa. MAS E AQUELES QUE SOFREM DE PROBLEMAS COMO A MINHA AMIGA DE UMA CERTA SOLIDAO NO MEIO DE TANTOS AMIGOS?

Por isso, amigo enfermeiro, faz o bem nao apenas a quem te pedir ou souberes que sofre fisicamente, mas mais nos sinais que possam dar, porque geralmente se fazem algum pedido de amizade é sempre um pedido tímido e se vêem que nao há encontro do outro lado, afastam-se e voltam a mascarar o problema.

Foi assim que eu entrei na vida dessa amiga (até o meu namorado no principio achava estranho, e obviamente sabe da minha ligação com ela sem saber os pormenores de frustrações e depressão), e tenho aprendido tanto com ela mesmo sem ela saber que me ensina.

Interessa-te também pelos que sofrem e nao pedem ajuda, ou pedem uma ou duas vezes de forma indirecta, porque ou sabemos reconhecer que podemos fazer muito ali pela simples amizade mas com gestos concretos, ou essas pessoas se vão embora de novo, envergonhadas e metidas na sua própria vida... porque as coisas de dentro nao se vêem.

Pelo Luis, parabéns, Gonçalo. Por aqueles que nao conhecemos mas que nao se atrevem a pedir de maneira directa o nosso apoio e amizade mas ás vezes até dão sinais, incentivo-te a continuares. Temos de estar atentos aos sinais. Eu não sou freira, e tu também não és padre, mas essas pessoas também não e por vezes são elas a ajudar já sem terem força para isso e sem que a gente perceba.

obg pelo post. Que seja um incentivo a quem passa por aqui e nao apenas uma história bonita.

Aliás, acho que lhe vou escrever agora... afinal fui merecedora de uma vida... :D


A.M.

kathy disse...

Conheci-o em 2004/2005...O seu sonho era ser polícia...
Quando o vi pela primeira vez a sua foto no msn deu-me uma certa repulsa e uma grande vontade de bloquear o seu contacto porque se há coisa que nunca gostei foi de contactar com o sofrimento.

Depois tornei-me enfermeira...e vejo sofrimento em toda a parte...

Na verdade nunca o bloqueei. E ainda tenho o contacto dele na minha lista de amigos :)Foi uma pessoa fantástica que guardo com uma grande ternura.

Até sempre, luís

Eli disse...

Gonçalo

Deixas-me orgulhosa de ti. Verifico um Homem equilibrado e cada vez mais poderoso no que diz respeito à análise do interior.

Escolheste este texto do Luís de forma brilhante e pontuaste bastante na legião dos anjos ao revelares sentimentos tão nobres.

Regista mais vezes esta tua visão enaltecedora.

Abraço-te.

:)

Susaninha disse...

SEM DUVIDA...UM GRANDE MOMENTO...
E acredito que o teu Luis estará sempre vivo no coraçaõ....

Confesso que me deixaste com o coraçaõ apertado...e trouxeste-me a memoria uma fase da minha vida dura,com a perda ...DAS PESSOAS QUE MAIS AMEI...

Mas sabes as pessoas que estão doentes e em fases terminais as vezes tem tanta coragem e ainda tem um sorriso que ficamos sem palavras......
Este é daqueles assuntos que me fazem falar,mas não tenho coragem porque ainda me faz doer...

UM SORRISO AO TEU LUIS...
UM SORRISO AOS MEUS ANJOS...
E que a força deles nos faça abrir orizontes e valorizar tudo o que existe aqui...
Beijinhos...

Anónimo disse...

Estou sem palavras, mas apesar de ser uma simples homenagem a um simples jovem de 21 anos só poderia vir de um grande jovem que se chama Gonçalo, fico sem saber o que pense de ti se és o jovem/homem ou o homem/jovem. Uma coisa eu sei, podes ir mais longe na tua caminhada, mas está no caminho certo, o teu coração é de ouro.
Adoro-te Gonçalo, abençoado o dia em que vieste ao Mundo, és dos poucos seres com uma sensibilidade que Augusto Cury gostaria de ter como discipulo, mas não te deixes abater mantém sempre esse teu sorriso.
Um beijo e um abraço da eterna amiga
AnaBorges

Gonçalo disse...

A.M.:

No final do teu último comentário só faltou apresentares-me a tua amiga, porque agora já conheço os sinais e estou sempre disponível para uma ajuda mútua!

:)

É natural que se ajude mais facilmente um doente em fase terminal do que uma pessoa deprimida, e muitas vezes reprimida, porque há uma maior visibilidade e as pessoas de um modo geral distraem-se com outro género de sinais.

Vou continuar atento aos sinais e fico a aguardar pelos teus sinais e pelos sinais da tua amiga.

Um desafio!

:)

Um beijinho grande para ti e feliz Domingo :)

Gonçalo disse...

Kathy:

O maior erro que poderias cometer era bloquear o contacto do Luís. O Luís mostrou sempre de todas as maneiras o seu humor inteligente e a sua maturidade, que não se pactuava com atitudes de coitadismo ou apelo ao sofrimento.

O Luís sofreu muito, não duvido, mas a força dele superava o sofrimento!

Orgulho-me muito de ti Luís...

Para ti Kathy, um beijinho grande e obrigado pelo teu comentário ao nosso eterno amigo :)

Gonçalo disse...

Eli:

Os elogios e as visões enaltecedoras são para se fazerem. De outra forma, os nossos pensamentos teriam pouca importância e seriam apenas um gasto desnecessário de energia.

Mas felizmente há energias renováveis e bem aproveitadas. Acredito que este texto foi um bom exemplo!

:)

Um beijinho grande para ti e até breve, reforçando vezes sem conta que és essencial na minha vida!

Gonçalo disse...

Susaninha:

Gostei de te ler num registo mais profundo, o que para mim não é uma surpresa porque eu acredito que as pessoas que transparecem energia positiva em cada palavra ou momento como tu, são pessoas de grande sensibilidade e até intuição...

Não te vou pedir para me contares histórias de anjos, guarda-os contigos e mostra-me apenas pela tua personalidade. Que dizes?

Um beijinho grande para ti*;)

Gonçalo disse...

Ana Borges:

Sabes as saudades que já tinha dos teus comentários? Mas sabes mesmo? Duvido, porque eram mesmo imensas :)

E depois dizes-me coisas tão bonitas, ainda por cima vindo de uma pessoa com tanta autenticidade como tu, ainda fico mais orgulhoso de mim mesmo.

Acredita que caiu-me quase tudo quando imaginaste-me como um fiel discípulo de Augusto Cury. Sabes bem como essas palavras são fortes demais para mim :)

Já não vou falar em possíveis cafés ou cházinhos, para a próxima vez que puder ligo-te e quero que vás!

:)

Um beijinho grande para ti *;)

Daniel Silva (Lobinho) disse...

A tua nobreza de alma é uma nobreza maior. És um Menino. E és um Menino porque os Homens não têm, como tu, a inteligência do amor. E isto não é mero elogio: é um facto constatado pela beleza deste post, concretizada numa vida. É isso que faz a diferença.

Permite-me, porém, e sem demérito nenhum de tão belo post com tradução efectiva na vida de alguém, subscrever inteiramente estas palavras da A.M. "nao olhes so para os feridos do corpo: ha tantos feridos de alma que nao se revelam".

Talvez eles estejam mais perto de ti do que pensas, Gonçalo.

Já tiveste Natal na tua vida,só pelo que aqui relatas, e penso que, se houvesse mais pessoas como tu, nessa sensibilidade e disponibilidade de coração, o mundo seria menos frio, com tudo o que isso implica, já que em cada gesto, por mais insignificante que julguemos ser, pode significar para a outra parte, a diferença toda.

Aquele abraço.

Myosotis

Gonçalo disse...

Lobinho:

Se não te conhecesse diria que estavas a passar-me a escova pela pele, mas já te conheço, felizmente até já te conheço pessoalmente, e acredito na veracidade das tuas palavras, o que ainda me deixa um pouquinho mais orgulhoso de mim! :)

Vou ficar atento aos sinais, e já sei por onde começar, haja coração para resolver os problemas...

Aquele abraço!

(Nunca me esqueço de ti)

:)

Daniel Silva (Lobinho) disse...

Fico feliz por me conheceres o suficiente, com esse olhar de alma, para saberes que NUNCA faria um elogio profundo na modalidade passar a mão pelo pelo. O que escrevo tem de ser sentido, e se é sentido, não tem qualquer ponta de elogio gratuito. Curiosamente não sou dado a isso.

Claro que haverá coração para resolver os problemas, Gonçalo. Já demonstraste, neste post que ultrapassa quaisquer palavras que possamos fazer de elogio, essa capacidade. E ainda bem que estás atento aos sinais :) Como digo, podem estar mais perto de ti do que julgas. E mais não digo.

Abraço-te na imensidão da Pessoa que és.

Gonçalo disse...

Lobinho:

Eu conheço bem os sinais e já sei qual o caminho a seguir! :)
Continua também atento aos sinais. E mais não digo! :P

Um grande abraço, sem limites!

:)

Susaninha disse...

Querido Sir Gongas....
Quando li o teu post sobre o Luis, ainda não sabia da partida do Johnny...

Acredita que tenho um regsito mais profundo:)
Os meus Anjos da Guarda são os meus Pais...
Um dia quem sabe tenho coragem e conto...
Ao teu Luis, aos meus Papis e ao meu cowboy que nos ensinaram a ser livres de sentimentos e tornar-nos pessoas atentas ao SORRISO.
E A TI QUE ESTAS NO MEU CORAÇÃO...UM NATAL DOCINHO E FELIZ:)

Gonçalo disse...

Susaninha:

Eu acredito no teu registo mais profundo. Por detrás de uma pessoa cheia de energia positiva, que por vezes até impressiona, acredito sempre que haja um tom de vida mais cinzento que tornou a vida mais colorida, e sempre em construção. Feliz de quem conhece pessoas especiais como tu! Feliz de mim! :)

Um beijinho grande para ti com cheirinho a canela e o desejo de um feliz Natal livre!

:)

Fragmentos Culturais disse...

... não duvides que tens uma estrela, um anjo da guarda que zela e segue cada um dos teus dias, te acaricia de mansinho em cada um dos teus momentos mais tristes, te aconchega em cada uma das noites solitárias, te sorri em cada gesto de ternura!

Uma estrela suave, para sempre em teu firmamento!

Um beijo *

Cristina disse...

Dedicatória linda!
O teu amigo certamente que era um grande ser humano!

Gonçalo disse...

Fragmentos Culturais:

Há coisas que não se explicam, sentem-se! E com certezas!

:)

Um beijo grande para ti *;)

Gonçalo disse...

Cristina:

Aprendemos a ser melhores com seres humanos como o Luís. Eternamente grato!

Um beijinho grande para ti :)