sexta-feira, 28 de setembro de 2007

Agir para Reflectir, Reflectir para Agir

“Pode dizer-se que quem apenas deseja espera;
mas que, quem muito quer, estuda, trabalha, inova e arrisca."
In “Liderança – As Lições de Mourinho”, de Luís Lourenço e Fernando Ilharco

A passividade é de facto um dos maiores obstáculos à concretização humana, seja intencional ou não, uma vez que intencionalmente pode ser um estado de espírito que mantenha as coisas como elas estão numa perspectiva falsa de aumentar o domínio dos acontecimentos, ou uma passividade sem intenção que seja mais difícil de modificar porque há uma menor consciência da estagnação pessoal, com consequências nefastas a médio-longo prazos.

Por isso, esta frase é paradigmática quanto à participação activa que devemos empregar nas nossas vidas de forma a atingir o sucesso, planeando os nossos desejos e ambições, mas sobretudo, criando pontos de ruptura com a falsa estabilidade e trabalhando muito para encontrar a sorte que nos falta na concretização dos nossos sonhos e intenções.

Mais do que palavras ou frases motivadoras, deve haver uma interpretação e interiorização destas palavras, tarefa difícil mas facilitada quando passamos a barreira dos desejos passivos para o nível da busca activa das conquistas, com reflexão, dedicação e muita acção para a mudança.

3 comentários:

Vera Carvalho disse...

Colocamos o seu blog nos nossos Links! Parabéns pelo blog e seu conteúdo!

Esperemos que nos visite tb!

Anónimo disse...

"Há tudo tem seu tempo e dentro do tempo construimos o nosso ideal." Aproprio deste discurso, com eloquência, por assim entender que somos os grandes responsáveis pela qualidade do nosso tempo e, desta forma, paulatinamente, vamos construindo o nosso ideal de vida de forma perseverante e otimista.
Contudo, a luta travada no dia-a-dia, percebemos um cenário inconstante porém a sabedoria para compreender estes momentos é fundamental para que jamais percamos o foco o qual almejamos...
A passividade corrompe o próprio ato de refletir e, por tudo isto, a tarefa principal para a conquista é ação.
A fidelidade aos nossos desejos é o começo para compreendermos que tudo aquilo que possamos fazer será benéfico ou não a nós mesmos!
***Gosto muito de você ;-)

Cristina Guerra disse...

Eu que o diga!! É um dos meus defeitos deixar me levar pela passividade.
É algo que devemos aprender a controlar,antes que nos controle a nós.