quarta-feira, 9 de fevereiro de 2011

Estabelecimento de Prioridades!

Não há tempestade que não dê em bonança, nem deserto sem oásis, e a fome transforma-se em fartura!

Se no vazio a palavra-chave é a tranquilidade, na abundância o desafio passa pelo estabelecimento de prioridades, ao ponto de viver a sorte com qualidade mas sem o risco de perder a graça pelo egoísmo.

No mundo do “Ter”, é preciso “Saber Ser”, “Saber Fazer” e “Saber Saber”, mas acima de tudo exige-se “Saber Escolher”!

Escolher a diferença entre a multidão admiradora mas fútil e o individualismo merecido e respeitador é o desafio de um mundo competitivo e pouco coerente.

Desafio aceite, lição aprendida!

21 comentários:

ana disse...

Pois...

Eu cá sou apologista de manter sempre o norte. As minhas prioridades são-o sempre, seja em que estado seja. Tudo o que vier a mais é apenas lucro. As minhas prioridades são o que tenho de mais valioso e o que me mantém os pés na terra. Não sou de me deslumbrar demasiado com sortes e abundâncias.

Gonçalo disse...

Ana:

Estás no caminho certo, especialmente se tiveres essa atitude nos momentos de maior fartura. Toma as opções correctas!

Beijinhos***

EC disse...

Fazer de cada dia uma dádiva! Saber ser, aproveitando cada dia, dispensando futilidades.

Susaninha disse...

SABES UMA COISA SIR GONGAS:
-TENS UM CORAÇÃO DE OURO...

Gonçalo disse...

EC:

...e escolher as pessoas certas para nos acompanhar, sem prejuízo das que realmente são nossas!

:)

Gonçalo disse...

Susaninha:

E tu és uma mulher lutadora!

(Onde é que já vi isto?)

:P

Beijinhos***

Eli disse...

Vá, lá por teres umas comentadoras lindas de morrer, não significa que podes colocar esta música charmosa para nos rendermos e ficarmos por aqui mais e mais! Batoteiro!

Como te percebo, my dear friend!

:))

DoceSussurro disse...

Que bom saber que estás BEM!!

:))

Beijinho*

Gonçalo disse...

Eli:

Eu sei que me percebeste, talvez melhor do que ninguém. E também sabes do meu gosto pelo intimismo. Desfruta do que é bom!

Beijinhos ****

(concordo com a primeira parte do teu comentário) :P

Gonçalo disse...

DoceSussurro:

Se estar bem é aceitar desafios e crescer em sua função, eu estou bem!

:)

Beijocas fofas ***

Carolina Tavares disse...

És acolhedor... isso já percebi muito bem.

Beijinhos

izzie disse...

Eu vivo há dois anos a plenitude do teu penúltimo parágrafo. A escolha consciente, com base no mérito e no bem-estar, na partilha e no respeito.

E sou muito mais feliz, sinto-me muito mais certa do meu mundo.

Graças a ti também.

Um beijinho grande,

Celisol disse...

Sim, vamos aprendendo a colocar os sinais de trânsito mais apropriados na nossa estrada.

Beijos Gongui :)

Gonçalo disse...

Carolina:

Boa análise, senhora Psi!

:)

Beijinhos***

Gonçalo disse...

Izzie:

Eu sei que estás no bom caminho das escolhas, os teus princípios são generosos e respeitadores e em parte este texto também foi feito por ti.

Um beijinho e até breve :)

Gonçalo disse...

Celisol:

"Gongui" é novo depois de tantos diminutivos em torno do meu nome...

:)

A malta tem é de colocar aqueles sinais de trânisto de prioridade que aprendemos no códido e que os vemos de milha em milha!

Um beijo *;)

Sus disse...

Prioridades em tempo de abundância exige acima de tudo auto-conhecimento. E nem sempre é fácil!
Gostei da tua reflexão!

Beijos!

Gonçalo disse...

Sus:

Também gostei da tua reflexão. Fiquei a pensar no "auto-conhecimento".

Beijinhos e volta mais vezes :)

Daniel Silva (Lobinho) disse...

Hum... Percebo o que pretendes dizer quando escreves: "Escolher a diferença entre a multidão admiradora mas fútil e o individualismo merecido e respeitador é o desafio", mas penso que o individualismo merecido de que falas, pode sem que nos apercebamos disso, resvalar facilmente para uma autoadulação; sem que nos inteiremos disso envaidecemo-nos por nós mesmos, por isso, compreendo o que dizes, mas contra a multidão oca, eu diria antes qualquer coisa como a solidão dos nossos pensamentos, e nao necessariamente o tal individualismo. Porque de nada valemos que não na partilha, e entao, quando sentimos uma multidão bajuladora, não caiamos nós num individualismo narcísico que corresponde, visto pelo outro lado da questão, ao mesmíssimo erro que apontávamos à referida multidão.

Compreendo bem o que queres dizer, mas devemos sempre tentar a comunicação, o desafio, o desinstalar o outro, e, com isso, tornar paulatinamente a multidão oca em pessoas que, afinal, se juntam ao teu pensamento e mérito, sem bajulação mas também sem individualismo.

Gd abraço, amigo

Gonçalo disse...

Lobinho:

O individualismo que me refiro não é narcísico, é um individualismo projectado para o outro que merece e faz valer a pena. E a multidão também será rica, mas nessa riqueza há sempre momentos para escolhas como forma de respeito por todos e especialmente por aqueles que mais amamos.

A multidão oca dava outro post...

:)

Um abraço!

Dj´ Samis Killer disse...

uau fixe