sexta-feira, 29 de fevereiro de 2008

Palavra Puxa Palavra: "Conversas Com Deus"

"Imagine que podia fazer a Deus as perguntas que mais nos intrigam acerca da existência: as questões da vida e da morte, do bem e do mal, do amor e da fé. Imagine que Deus lhe dava respostas claras, compreensíveis e por vezes cheias de humor...
Neale Donald Walsh estava a passar uma fase má da sua vida quando resolveu escrever uma carta a Deus, a descarregar as suas frustrações. O que ele não esperava era uma resposta... Quando ia acabar a carta, sentiu-se "impelido" a continuar a escrever e començaram a surgir respostas extraordinárias às suas perguntas. Este livro é o registo das respostas que Walsh recebeu, que o ajudaram a modificar-se a si próprio, à sua vida e à forma como via o mundo."

In Contracapa de "Conversas com Deus (Livro 1)"

Hoje não vos venho apresentar um simples livro. “Conversas com Deus” não é um simples livro, é um tesouro que guarda respostas a intermináveis questões existenciais, sobre tudo aquilo que um dia gostaríamos de saber e que agora podemos encontrar, tanto no livro, como em tudo o que nos rodeia após a sua leitura.

Este primeiro de três livros da colecção “Conversas com Deus” poderá motivar associações de sintomas psicóticos ou de charlatanismo ao seu autor, no entanto, independentemente desta alusão, o mais importante para mim foi a mensagem e essa foi sentida como a verdade mais óbvia que alguma vez poderia ter encontrado.

De facto, este é mais um livro que exige lápis numa mão e livro na outra, a dificuldade na sua leitura prende-se com a selecção do sublinhado, porque para mim tudo foi importante e cada frase transportava em si uma ideia diferente e enriquecedora, chegando ao fim com um livro coberto de carvão, repleto de notas e por vezes com simples desenhos de um “smile”. Sim, porque cheguei passar por momentos de grande humor, com meros sorrisos ou até mesmo com gargalhadas estridentes, dando por mim a falar com o livro...

Arrisco mesmo dizer que este é provavelmente o livro mais marcante da minha vida até hoje, pela confirmação dos meus monólogos nestes últimos anos e pela revelação de ideias tão óbvias como ocultas até então, e que complementam esses mesmos monólogos...

Nada acontece por acaso! Não será por acaso que estarás a seguir atentamente esta sugestão, e muito menos será por acaso que aceitarás esta sugestão, apenas depende do teu momento e da preparação que possuis para receber agora esta mensagem, sabendo de antemão a inevitabilidade deste caminho!

Eu acredito!

12 comentários:

Eli disse...

Eu acredito too.

Já sabia da existência deste livro e já li partes dele, embora nunca tenha estado com ele nas minhas mãos.

O que eu escrevi em cima basta para entenderes a mensagem simples, mas poderosa que te quero deixar aqui.

:)

Gonçalo disse...

Olá Eli, eu também acredito:)

Quando for o momento aceitarás ler esse livro, ou então não, talvez já tenhas percebido a sua mensagem, quem sabe se já a vives, e assim não precises dessa leitura;)
Um beijinho grande*

Rafeiro Perfumado disse...

"Conversas com Deus" fazem-me sempre lembrar da Alexandra Solnado...

Manuel Damas disse...

Há desafio novo e polémico...

Ana disse...

Olá Gonçalo cá estou eu.
Já li esse livro há algum tempo, o tempo para mim é tão relativo que muitas vezes não sei bem o que foi ontem ou há 1 ou 2 anos, mas é um livro muito bom para ler e meditar sobre o que se tira da leitura do livro. O título do livro "Coversas com Deus" leva a que muitas pessoas não o leiam porque associam logo ao Deus católico, mas não, o livro é uma conversa com o nosso Deus, com um Ser Supremo, que está acima de nós, a quem nós muitas vezes, perguntamos: Porquê eu Meu Deus?, Essa pergunta é para ser feita ao Deus que existe dentro de cada ser humano, porque todos nós o temos, uns é que não o conseguem visualizar nem deixar que ele responda a perguntas que lhe fazemos, esses estão sempre á espera de um Milagre. Milagre??? O que será isso, ter visões??? Eu tenho todos os dias, e nos dias que acordo mal disposta então as visões são diabólicas, tenho que me acalmar para não ficar possuida pela minha fera interior.
Por isso aconselho todos os que gostam de ler, sejam católicos ou agonósticos, não tenham religião ou tenham a que lhes der mais prazer de lerem este livro, lava a alma.
Boa escolha Gonçalo
Um beijo Ana

Gonçalo disse...

Olá Rafeiro Perfumado, nunca li nenhum livro de Alexandra Solnado, apenas assisti a algumas entrevistas televisivas que lhe fizeram. No entanto, todas as mensagens podem ser interessantes, mais que não seja para perceberes o que não és ou não queres ser;)
Um abraço e boa semana!

Gonçalo disse...

Olá Professor Manuel, já lá irei ao seu blogue mandar umas postas de pescada :P
Um abraço!

Gonçalo disse...

Olá Ana, de facto este livro é mais do que uma conversa com Deus, é acima de tudo uma conversa com o nosso Eu, o que para mim confunde-se com Deus, na medida em que sou feito à Sua imagem e semelhança.

A verdade é tão óbvia que é perfeitamente compreensível que sintas as visões poderosas próprias de quem sente uma fera dentro de si, afinal de contas, somos seres perfeitos, apenas ainda não nos experienciámos na sua plenitude. Mas começamos a sentir esses sinais, como tu os sentes nas tuas manhãs intensas, como eu como "pequena fera" começo a sentir aos poucos e que me revelam uma força até então desconhecida...

As tuas partilhas fazem sempre falta neste blogue, continua a mostrar a tua luz, aqui e no restante mundo! Eu acredito!:)

Um beijinho grande e fica com Deus :)

Maria disse...

Amei este post! Eu também "ACREDITO"!Também tenho conversas com ELE! Beijo.

Gonçalo disse...

Olá Maria, fico feliz pelas tuas opções de vida:)
Um beijinho grande:)

Paty disse...

Olá Gonçalo,
Gostei muito dos teu comentários. É um previlegio conhecer pessoas que partilham tantos gostos comuns!

E por isso...SIM!Já li esse livro tambem. :)

Acredito que esse é daqueles livros que não somos nós que escolhemos quando o queremos ler. Ele surge na altura certa. Foi o que me aconteceu. Para quem por diversas razoes questiona a existência de Deus (como eu), foi sem duvida uma excelente leitura!
Amei!

Gonçalo disse...

Como te compreendo tão bem, sei do que falas e também eu percebi que era o momento para o ler, foi um dos livros que marcou uma transição para melhor e recentemente. Amei!

:)