terça-feira, 19 de fevereiro de 2008

Os Grandes Pormenores da Vida...

Até estava a ser um dia sensaborão quando decido aceitar as inúmeras sugestões literárias de várias pessoas para o mesmo livro “O Segredo”, e fui a uma das livrarias mais famosas do país (começa por F, acaba em C e pelo meio tem as letras N e A). Pronto, agora que já todos perceberam que não é a Bertrand, passemos aos grandes pormenores da vida...

Entrei na loja com o meu habitual passo de metro e meio, vi o livro que procurava logo à entrada, mas preferi embriagar-me ainda mais de cultura e fui a uma das secções que mais me agrada: Secção do Esoterismo! Ao longe já avistava uma rapariga de costas percorrendo as suas mãos pela prateleira dos livros, e quando me aproximei encontrei outra vez “O Segredo”, retirando-o da prateleira e pensando “este já ninguém me tira”. Continuei a percorrer a prateleira com os olhos, pegava num livro, encostava-o de novo, até que de repente a rapariga virou-se para mim, colocou-me um livro na mão e disse-me com uma voz trémula “Leve este que eu gostei muito...” Na altura fiquei bastante surpreendido, pois aquela rapariga loirinha fitava-me com os seus olhos claros e, apesar da timidez, percebi que sentia uma vontade enorme de partilhar a sua felicidade com um desconhecido. Olhei para a capa do livro e descobri um ramo de flores por baixo do título “O que sabem as pessoas felizes”, enquanto a loirinha de olhos claros afirmava, com uma voz emocionada, que o livro tinha sido fundamental para ultrapassar “uma fase em que estava muito em baixo...”. Respondi-lhe que eu não podia estar em baixo neste momento e expliquei-lhe a razão do meu bem-estar, apontando para um dos livros da prateleira, neste caso o meu actual livro de cabeceira cujo título será revelado em breve neste espaço. A conversa não durou muito mais, até ao momento em que a loirinha de olhos claros se afastou de mim e me disse antes de partir “Siga o seu instinto!”. Escusado será dizer que levei dois livros para casa, o desejado e a surpresa, fazendo questão de levar precisamente o exemplar escolhido pela loirinha de olhos claros...

A vida é tão simples quando aproveitamos as oportunidades que surgem a todo o momento, tal como a entrega de um livro por mãos desconhecidas, e interpretar essas oportunidades como uma mensagem para o crescimento pessoal...

A vida é tão simples como bonita! :)

16 comentários:

Eli disse...

Tenho pensado bastante ultimamente acerca dos sinais. São pormenores aos quais às vezes chamamos coincidência, outras vezes destino, mas esta palavra é muito forte.

Acredito que existam alguns sinais no nosso caminho que só conseguimos ver com os olhos da alma.

Outra coisa, vinha justamente "reclamar" que não havia post novo e... mais um pormenor... já tinhas postado.

Vê "Enigma"!

:)

Gonçalo disse...

O destino somos nós que o criamos, porque nada acontece por acaso, e esta situação tenho quase a certeza que surgiu em resposta a uma necessidade que criei e quis satisfazê-la...

Uma oportunidade que provoca um brilhozinho nos olhos da alma, acredito que sabes do que estou a falar:)

Vou ver "Enigma", até já***

kathy disse...

ganda maluco... meteu-se a confiança com uma desconhecida!!!


Se bem que normalmente são os desconhecidos que nos trazem boas surpresas...

Manuel Damas disse...

Tem desafio.

Maria disse...

Gonçalo AMEI a sua Estória! No princípio pareceu-me que estava a ler um romance! Amei a maneira como descreveu esse acontecimento na livraria! Gostei do titulo! BEIJ.

Gonçalo disse...

Cátia:

...ou foi a desconhecida a meter-se à confiança comigo :P

Pena não ter ficado com um contacto, mas talvez não tivesse de ficar...;)

Uma beijoca fofa*

Gonçalo disse...

Manuel:

Em breve alimentarei ao seu desafio:)

Um abraço;)

Gonçalo disse...

Olá Maria, seja bem-vinda a este blogue:)

Quem sabe se um dia o meu blogue não dá um livro? Por enquanto um sonho distante, mas sinto grande vontade em aproximar-me com bases seguras desse sonho, escrever um livro mesmo que não se baseie no blogue...

Um beijinho e volta sempre!

Silvia F. disse...

Da próxima tenta uma adivinha mais fácil porque não fnaco a mínima ideia a que livraria foste!

Bonito momento embora deva confessar que se tivesse acontecido algo semelhante comigo, teria seguramente reagido diferentemente, o mais provável seria peruntar-lhe se tinha comissão na venda do livro. :)

Beijinhos

Casemiro dos Plásticos disse...

um retrato bonito e com supresa pelo meio, ganda maluco ena ena...
abraço e bom fds.

Gonçalo disse...

Olá Sílvia, a minha reacção instintiva também seria diferente, porque lembro-me que a minha primeira vontade foi dizer: "mas quem és tu para me sugerires livros, perguntei-te alguma coisa???" :P

Mas o meu coração falou mais alto e até tornei o momento muito prazeroso :)

Uma beijoca grande*

Gonçalo disse...

Olá Casemiro, o retrato, a surpresa e a tua afirmação entroncam no que me auto-denomino "louco saudável" :)

Um abraço e um fim-de-semana proveitoso!:)

margarida disse...

Bem cá estou eu:)
O que se passou contigo se fosse noutra altura da minha vida eu diria foi o destino.
Mas agora lendo o livro que ando a ler penso já um pouco de outra maneira e digo que essa situaçao talvez a tua mente já tivesses visualisado algo assim ou identico e por esse motivo ela se concretizou.
Quem sabe não estaria ali a tua princesa ou ate aquela amiga que tanto queres ter mais perto de ti.
O Universo dá-nos as coisas , mas temos que as entender, se ela foi tão simpatica mesmo k envergonhada, pq a deixas-te sair sem falares um pouco mais com ela.
Onde está aquele Gonçalo tipo Ben que faria uma das suas gracinhas e alongaria mais a conversa?
Na proxima oportunidade que recebas algo que desejas não a deixes fugir.
Beijinho grande

Anónimo disse...

Mais um passo dado nesse crescimento interior... Tou a gostar muito de ver de puder assistir, aqui do "balcão" por detrás dos bastidores, a um crescimento tão grande numa idade tão pequena, isso demonstra que o Homem não tem idade mental.
Ainda não li esse livro, mas por acaso também fui á mesma livraria esta semana e comprei mais um do OSHO, mais um para ler, pensar e meditar, porque a vida leva-nos sempre a aprender todos os dias e quanto mais leio sinto que estou a conhecer-me melhor, sinto que entro dentro de mim, e já dialógo comigo própria.
Um beijo
Ana

Gonçalo disse...

Olá Margarida, concordo com a maioria das tuas palavras, também acredito que foi uma situação já desejada por mim que se concretizou, mas também percebo que se não houve prolongamento daquele momento é porque se calhar não teria de haver. Ou então serve como lição para da próxima ser mais atento e prolongar mais rapidamente aquele laço quando me senti tão bem, como se estivesse a falar com alguém que já conhecia há imenso tempo...
Enfim, da próxima talvez siga o teu conselho;)
Uma beijoca fofa:)

Gonçalo disse...

Olá Ana, esta semana gostava que passasses do balcão para o palco principal da minha vida, se é que me entendes...;)
OSHO é um autor já conhecido há alguns anos por mim, mas nunca senti vontade de o ler, talvez ainda não esteja preparado para esse momento e de tantas vezes que fui à secção de Esosterismo da FNAC (pronto, já fiz a publicidade) e de ver esses livros, nuca me dedici em levar nenhum...Assim será quando sentir esse momento:)
Um beijo grande:)

P.S.: O último livro que li foi particularmente curioso no que respeita aos meus diálogos interiores e aos meus sorrisos e risos com o livro:)