quinta-feira, 27 de junho de 2013

A caneta

Era uma vez um menino que tinha um livro. Um livro feito de rasuras, cópias mal feitas e folhas em branco. Um dia descobriu a caneta. Essa caneta constituiu novos contornos nas suas linhas em branco ao ponto de as deixar com as cores do arco-íris. Assim se fez magia! A caneta deixou de ser  especial e passou a ser mágica!

A caneta possibilitou escrever noutros livros. Os livros do menino seriam os da caneta e vice-versa. Por sinal, mais livros acrescentaram à biblioteca da vida, alguns deles de uma autoria surpreendente e com uma apresentação tão peculiar como merecida. Afinal de contas o livro e a caneta poderão ser sempre um muro das lamentações e o início do parágrafo da amizade.

Um dia, o menino tremeu. As canetas acumuladas ao longo da vida mereciam o seu respeito mas a mágica era a mágica. E a mágica merecia mais. Ficou um parágrafo em branco. Por culpa do menino. Afinal de contas, mais do que o respeito pelas canetas, o mais importante é a verdade do livro. E a verdade é que o menino continuará a crescer com a sua caneta, aconteça o que acontecer! As páginas continuarão a ser bem escritas! E a verdade surgirá com mais força, porque o menino sempre foi mais leitor de romances do que de contabilidade.

Um parágrafo em aberto!

Música: The Gift - Primavera

5 comentários:

Jose Ramon Santana Vazquez disse...

...traigo
ecos
de
la
tarde
callada
en
la
mano
y
una
vela
de
mi
corazón
para
invitarte
y
darte
este
alma
que
viene
para
compartir
contigo
tu
bello
blog
con
un
ramillete
de
oro
y
claveles
dentro...


desde mis
HORAS ROTAS
Y AULA DE PAZ


COMPARTIENDO ILUSION
GONCALO




CON saludos de la luna al
reflejarse en el mar de la
poesía...




ESPERO SEAN DE VUESTRO AGRADO EL POST POETIZADO DE EXCALIBUR, DJANGO, MASTER AND COMMANDER, LEYENDAS DE PASIÓN, BAILANDO CON LOBOS, THE ARTIST, TITANIC…

José
Ramón...


Buxexinhas disse...

... Escreve sempre com base no que tens de mais precioso e maravilhoso... a tua essência! :) Beijinhos sunshine

Mz disse...

A magia da escrita é força que não morre. Atrevo-me a dizer que até a contabilidade pode virar poesia ;)

Eli disse...

Quando estiveres cansado, alguém te ajudará a escrever...

Eli disse...

Considero-me parte quando me apecebo que a minha perspicácia pode ter um valor incalculável! :P