quarta-feira, 26 de abril de 2006

Revolução da liberdade ou liberdade da revolução?


Hoje celebram-se as comemorações do 25 de Abril, marco histórico na vida de Portugal, representado por vantagens e inconvenientes...
25 de Abril, momento em que se celebra a liberdade política, a liberdade humana, a liberdade de expressão...momento que derrota o autoritarismo e elege a democracia como a sua bandeira política, momento em que a liberdade vence a opressão, momento em que a expressão vence a censura, de tal forma que me permite fazer este comentário neste momento...
Mas liberdade, liberdade, liberdade...não será liberdade a mais? Não terá sido esta excessiva liberdade que tenha permitido o aumento do despesismo, a desconfiança na nossa economia, o aumento da criminalidade, os rumores da corrupção com dinheiros públicos? Será que é necessária outra revolução? Penso que sim, essa revolução é mais que necessária, mas uma revolução de mentalidades, uma revolução na forma de ser e de estar de cada um, uma revolução que permita o rumo do país no mesmo sentido, que diminua as assimetrias e actue em função do equilíbrio que este país precisa para sair da cauda da Europa...
Que essa revolução de mentalidades surja o mais depressa possivel, porque não é com cravos que se resolvem os totais problemas do país...

2 comentários:

MissPoetry disse...

Liberdade

Liberdade de expressão, sem autoritarismo. Sim, há que festejar o 25 de Abril. É incomparável o Portugal de hoje com o de há 30 anos atrás. São as revoluções que nos projectam para a evolução, que nos libertam das amarras da pseudo-estabilidade em que vivemos.
Neste momento, Portugal está preso e limitado pela sua mentalidade; uma prisão que atravessa todas as classes sociais e que poderá levar-nos para um abismo. Mas será desse caos, uma vez organizado, que poderá dar-se o renascimento. Talvez, no futuro,uma outra "revolução" venha a ser festejada e marque a nossa história. Há ainda muito a fazer...

Beijo G.

luis disse...

Amigo Gonçalo permita-me que assim o consider. Tive conhecimento do seu blog através de uma amiga. quis visitar como é natural, e a primeira impressão que me ficou, é que o meu amigo dispõe efectivamente de um grande poder de escrita, o que muito me apraz pois também eu adoro escrever. contudo o tema a que me proponho comentar pode merecer um comentario favoravel ou não dependendo sempre do lado em que as coisas forem vistas. E como sabe todas as coisas têm pelo menos dois lados para serem vistas, como sabe também o que é verdade para uns pode não ser para outros. Este tema pela sua grande importancia na nossa hist´ria já longiqua merece realmente que façamos um juizo de valores muito refectido, para que aquilo que pode ser a força da razão não venha a ser a razão pela força. É de todo conviniente dizer que sou um cidadão livre que vivo em plena posse de todas as minhas faculdades mentais, sendo na circunstancia sempre o responsavel pelas coisas que digo ou escrevo. para comentar semelhante tema e se me permite vou ser curto e grosso.

Diz a lenda que Deus com as suas divinas mãos, ao fazer o Mundo se aperfeiçoou de tal forma, com suas paletas e pincéis que pintou de Norte a Sul paisagens cujo tom e coloridos iam variando de região para região. Dotou-o ainda de um magnifico sol para fecundar tudo o que este maravilhoso Mundo viesse a produzir.
Um anjo que de momento se encontrava perto de Deus inter-pelou-o desta forma: meu Deus porque é que tu estás a fazer tudo tão perfeito? E Deus ironicamente terá respondido: descansa meu filho, porque Eu, depois de ter a obra pronta coloco na terra uma coisa que não presta! E vai daí porque Deus nunca falta ao que promete, colocou nela a classe dos políticos.
Obrigado Gonçalo muita sorte para a sua vida e continue, quanto a mim voltarei para comentar outros temas que me pareçam merecer comentários