quinta-feira, 21 de julho de 2011

Agir para Reflectir, Reflectir para Agir: a crítica social!

"Em cada dez pessoas que falam de nós, nove pronuncia-se desfavoravelmente e, não raro, a única pessoa que diz bem expressa-se mal."

Conde de Rivavol, in "Amanhã À Mesma Hora", de Leonor Sousa

Por cada dedo que apontamos a alguém, três deles viram-se contra nós. Sou uma minoria que busca a assertividade. Que assim seja!

(Imagem: http://vta2011.blogspot.com/2011_06_01_archive.html)
(Música: Anaquim - Lusíadas)

5 comentários:

izzie disse...

A Mónica costuma dizer, baseada num pensamento tibetano, que o mal que apontas se reflecte em 4 espelhos, todos apontados a ti.

Sim, porque há diferença entre crítica e maledicência.

Beijinho,

Rafeiro Perfumado disse...

E eu sou daqueles que se me apontarem o dedo é bom que o façam à distância, ou arriscam-se a levar uma mordidela.

Abraço!

Anónimo disse...

Bb Lindo:
Sem dúvida que o capitalismo corrobora para o individualismo, a hipocrisia, entre outras mazelas sociais, consequentemente desumaniza as relações interpessoais. Quiçá, o dedo que feri tem feridas profundas e teme o amor, vagando pelo mundo.
Oxalá que a corrente do amor seja a mais- valia para a evolução da espécie humana, multiplicando, sobremaneira, os dedos que apontam para esta direção!

* Um beijo mineiro pra você :)

Carolina Tavares disse...

Sabe o que penso... que deveríamos ser mais fortes, pois a vida não é brincadeira não. Existem poucas pessoas que estão numa de paz e de viver bem com os demais. Pode até ser que não atirem uma pedra, mas se colocam com um sorriso sarcástico nos lábios. Tem muita gente cínica e que saboreiam o humor negro por ai. Docilidade, amabilidade, carinho e bom coração são para poucos, muito poucos.

Beijos

TERESA SANTOS disse...

E se o apontar do dedo for justo?
Há tantos, mas tantos motivos que nos DEVIAM obrigar a apontar o dedo!
Só que não basta apontar o dedo. Importante é que na ponta do mesmo vá uma sugestão, uma ajuda, qualquer dado/elemento que ajude na resolução daquilo que visamos por considerarmos estar mal.

Beijinho.