quarta-feira, 3 de dezembro de 2008

Bloco Operatório de Aveiro é notícia!


“"Adiadas treze cirurgias no hospital devido ao frio"
Bloco operatório a meio-gás na sequência de nova avaria no sistema de climatização

Jesus Zing

Treze cirurgias programadas para esta terça-feira no bloco operatório do Hospital de Aveiro não puderam ser realizadas devido às baixas temperaturas naquele serviço hospitalar provocadas por uma avaria no sistema de climatização.
O bloco operatório do Hospital de Aveiro funcionou ontem de manhã a meio-gás, com treze intervenções cirúrgicas de urologia, ginecologia/obstetricia e cirurgia geral a não se realizaram devido às baixas temperaturas de três das seis salas daquele serviço hospitalar. Uma situação provocada, segundo a administração do hospital, por uma avaria no sistema de climatização, uma situação que se repete quando há picos de frio ou calor.
As salas do bloco operatório devem ter uma temperatura entre os 20 e os 23 graus para poderem ser utilizadas e ontem de manhã possuíam apenas 15 e 16 graus, segundo apurou o JN. Melhor era, por exemplo, a situação no bloco de partos, que apesar de estar "ligeiramente mais fresco" funcionou durante a manhã de ontem.
Ficaram por operar quatro doentes de urologia e quatro de ginecologia/obstetricia e cinco de cirurgia. Dois doentes de cirurgia geral ainda chegaram a ser operados tal como os três que estavam previstos para a sala de ortopedia. O facto de o bloco operatório ter estado fechado nos últimos três dias e o sistema de climatização ter que ser regulado diariamente, o que não aconteceu, pode ter estado na origem do problema.
Francisco Pimentel, presidente do conselho de administração do Hospital de Aveiro, justificou ao JN a situação com uma avaria provocada por nos "equipamentos de climatização", negando que o aquecimento tenha sido mandado desligar, no fim de semana e feriado, por contenção de custos, apesar de doentes em enfermarias se terem queixado de frio no dia de anteontem (caso da Unidade de Cuidados Intensivos Cirúrgicos) e de, ao principio da tarde, muitos dos serviços não terem o aquecimento a funcionar, segundo soube o JN.
Pimentel admitiu necessidade de contenção de custos, apontando o exemplo do cancelamento do serviço de televisão por cabo que era visto nas dezenas de televisores do hospital, e salientou que a revisão do sistema de climatização é uma das prioridades da administração empossada em Setembro.”
Fonte: Jornal de Notícias, 3/12/08


Infelizmente o Bloco Operatório do Hospital de Aveiro é notícia por motivos pouco abonatórios, mas felizmente o movimento de Cirurgia Geral foi realizado na sua totalidade com as melhores condições possíveis, ao contrário do que indica a notícia.

No entanto, lamento o adiamento de outras intervenções cirúrgicas, em que o maior prejudicado é o doente, e a culpabilização dos enfermeiros pela origem desta situação, segundo fontes próximas ligadas à falha. Como diz a notícia, o sistema de climatização já apresentava falhas durante o fim-de-semana prolongado, logo teria de existir mais cuidado dos responsáveis pela climatização, especificamente no serviço de Bloco Operatório.

Quanto à contenção de custos, o exemplo solitário do cancelamento do serviço de televisão por cabo é ridículo diante de um orçamento de milhões, quando esses milhões poderiam ser melhor aproveitados com a continuidade de profissionais integrados na instituição.

Enfim, a luta continua…

7 comentários:

Sandruela disse...

Então, não tinham sido só 3?
Digo eu,que nem trabalho lá, mas garantiram-me que foram só três 2 de urologia e 1 de ginecologia...
Qto às "dívidas" existenciais...é só perguntar ao engenheiro...
Com um bocado de sorte,ainda dizem que foram os enfermeiros a desligar o aquecimento do Bloco/Hospital, para pouparem dinheiro ao Hospital...

FReaKLiPa disse...

nós tb passamos mt frio la em baixo mas a nós mandam-nos trabalhar e biko kalado!!!
e o "sr. enginheiro" da climatização ainda goza...

Anónimo disse...

"e a culpabilização dos enfermeiros pela origem desta situação, segundo fontes próximas ligadas à falha."

---------

Esta história não muda! Os enfermeiros virando boi-de-piranha por qualquer problema que ocorra. Seria mais fácil se as "fontes" assumissem suas responsabilidades neste caso.

Antonio Carlos
acvsilva_AT_terra.com.br

Gonçalo disse...

Sandruela:

Talvez tenham sido apenas canceladas 3 cirurgias, no entanto o número 13 é um número mais bonito para figurar numa notícia de jornal:)
Já que não trabalha no bloco, aconselho-a numa das próximas viagens a Aveiro passar pelo serviço, principalmente para conhecer as magníficas pessoas que compõem a sala de Ortopedia...então a responsável de sala...ui...ui...:P

Beijinhos e cuida-te:)

Gonçalo disse...

Freaklipa:

Apenas te digo uma coisa, para quê climatização quando o trabalho aquece?

:)

Beijocas fofas****

Gonçalo disse...

António Carlos:

O alvo é sempre o mesmo, muito provavelmente porque este alvo está internamente fragilizado, e pelos vistos tanto em Portigal como no Brasil. Depende apenas de cada um de nós para inverter esta situação, sejamos diferentes por uma enfermagem melhor!

Um abraço e volta sempre:)

Anónimo disse...

Não é verdade que o movimento de cirurgia geral tenha decorrido normalmente. A noticia está correcta. Foram mesmo 13 e não três.
E na noticia segundo li não se culpa nenhum enfermeiro. Nem pessoal auxiliar. Por isso...